ORGANIZAÇÂO
COMUNITÁRIA
OU DO TRABALHO

Escalonamento e flexibilização do horário de trabalho; teletrabalho e uso de ferramentas virtuais; carona solidária e estímulo a novas formas de locomoção; formação de redes de empresas e vizinhança; ações comunitárias para o uso racional dos transportes; formação de redes em escolas e locais de afluência e outras formas de atuaão comunitária e estímulo.

OFICINA COMUNITÁRIA MÃO NA RODA

A oficina é um espaço de aprendizagem e troca de conhecimento, oferecemos a estrutura e as ferramentas para fazer uma manutenção completa na bicicleta. O princípio da oficina é o do faça você mesmo e com o auxílio de mecânicos você vai aprender a consertar a sua própria bicicleta.

DRESS ME UP

Os principais objetivos são incentivar o uso de transportes alternativos para o percurso casa-trabalho, quebrando a barreira no destino dos ciclistas, que é uma das principais desculpas para não optar por esse meio: Não ter onde estacionar nem onde tomar banho.

Mobilidade Corporativa - Como tirar 2.000 carros diariamente da rua

Criar ações para reduzir a quantidade de veículos na rua, principalmente no horário de pico e reduzir a emissão de CO2. Segue resumo das principais ações: - CARONA AMIGA - desenvolvemos um sistema onde o funcionário pode se inscrever para dar ou receber carona. O sistema busca outros colegas com a mesma intensão na região de residência e forma duplas ou trios. Com isto o funcionário passa a ter vaga garantida no estacionamento com um preço subsidiário. São aproximadamente 300 grupos com 600 usuários. - FRETADOS – disponibilizamos linhas de fretados gratuitos para transportar os funcionários para estações de metrô de SP. Com isto ajuda a não sobrecarregar os pontos de ônibus e as duas estações de trem e metrô mais próximas. - VANS – Vans para transportar os funcionários entre os prédios corporativos do banco - BICICLETÁRIO – Além da construção do bicicletário, levantamos as necessidades dos usuários e disponibilizamos espaço para alongamento, armários, caixas de ferramentas e vestiários com itens de higiene pessoal como shampoo, sabonete e condicionador - HORÁRIO FLEXIVEL – Para evitar a saída de todos no horário de pico, foi criado o horário flexível onde os funcionários podem entrar entre 7h e 10h30 e sair entre 16h e 19h30 - ESPAÇO DE CONVENIÊNCIA – Para ajudar nesta ação de evitar os horários de pico, foram criados diversos serviços de conveniências dentro do próprio prédio como: 4 lojas rotativas, academia de ginástica, agência de viagem, agência bancária, salão de beleza, espaço de massagem, lavanderia, costura, sapataria, gráfica rápida, atendimento dos planos de saúde, biblioteca, lava-rápido ecológico, serviços simples automotivos, 5 restaurantes, 1 lanchonete, serviços de Consierge como despachante, cartório, venda de ingressos de parques, cinemas, teatros, shows e um centro médico com várias especialidades médicas e laboratório clínico. Tudo isto em uma área total de mais de 10mil m² e com preços diferenciados para os funcionários.

PEDAL SOCIAL

objetivo é pesquisar modelos para estimular e fixar a população na linha de pobreza para o uso da bicicleta como meio de transporte e geração de renda.

Busona sem catracas

Nosso principal objetivo com as intervenções urbanas que promovemos na cidade é mostrar para a população que uma outra forma de mobilidade urbana e de vivência é possível, mas que só será alcançada por meio de organização e luta. Ao fazer com que um ônibus gratuito pare nos pontos de ônibus regulares, rompemos com uma provocação o cotidiano muitas vezes monótono e opressor da rotina de trabalho de grande parte da população. Nessa ação direta, podemos discutir como é financiado o transporte público, quem está pagando e quem está se beneficiando com a crescente paralisia de nossas grandes cidades. A Busona sem catracas também busca demonstrar que uma nova lógica de oferta de ônibus pode romper com a lógica produtivista que historicamente tem pautado a política de transporte público nacional. Um ônibus cuja remuneração por serviço esteja desvinculada do número de passageiros transportados não precisa garantir a demanda da maneira como faz hoje. Assim, com o financiamento de toda a população e não apenas dos usuários, é possível garantir ônibus nas periferias e também nas madrugadas e finais de semana. A Busona sem Catracas inicia um diálogo com a população e a apresenta ao labirinto institucional que tem sido a política de mobilidade urbana brasileira, convidando-a a se engajar na luta por sua transformação. A vivência festiva de um espaço urbano outrora monótono mostra que é possível criar uma outra realidade cotidiana, e esse é nosso principal objetivo.

PEDAL SOLIDÁRIO- SOU CICLISTA, SOU DO BEM

Social · Apoio a uma instituição de caridade com a arrecadação e entrega de itens de necessidade. · Estímulo à prática de solidariedade. · Estímulo à integração e à convivência em comunidade Ambiental · Estímulo à redução do número de carros nas ruas com sua substituição por bicicletas. · Conscientização dos motoristas quanto à distância obrigatória entre carro e ciclista (1,5m, conforme Artigo 201, Código de Trânsito Brasileiro). · Promover a mobilidade urbana por meio de bicicletas. Saúde · Estímulo à prática de ciclismo, esporte saudável.

BIKE BLITZ

Objetivos primários - Promover a cultura da bicicleta; - Contribuir na formação e dialogar com ciclista urbano sobre os seus direitos e ocupação do espaço público para pessoas que pedalam nas regiões periféricas da cidade; - Fazer e levar informação sobre manutenção de bicicleta; - Levantar informações sobre o real perfil do ciclista urbano na cidade. Objetivo secundário - A médio e longo prazo possamos ter ciclistas multiplicadores de informações sobre os seus direitos e deveres no trânsito e a sua humanização.

Plano de Mobilidade Corporativa

O diagnóstico realizado na 1a etapa do projeto indicou alguns pontos importantes: • O perfil dos colaboradores é predominantemente de jovens solteiros, que valorizam o tema da mobilidade, sendo esse fundamental para a retenção de talentos • Os incentivos e benefícios alocados pela empresa para os usuários de automóveis são significativamente maiores do que para os usuários de transporte coletivo ou não motorizado • O crescimento e complexidade da empresa gerou um conjunto de situações que requerem uma grande quantidade de deslocamentos e altos custos de administração de vans, táxis, estacionamentos, vale transporte e vigilância • Apesar das diversas medidas já estabelecidas pela empresa, tais como o teletrabalho e horário flexível, sua eficácia era limitada ou a mobilidade não era considerada como um critério para decisões • A organização do trabalho e cultura interna da liderança podem dificultar o máximo aproveitamento de medidas que favorecem a mobilidade • 15% dos usuários de automóvel deixariam o mesmo em casa, caso houvessem os incentivos adequados • 8% estariam dispostos a utilizar bicicletas e 12% participariam de programas de carona • Transportes públicos são mal avaliados pelos usuários • Os colaboradores que utilizam carro próprio para ir e vir do trabalho chegam a gastar R$ 900,00 / mês, comprometendo parcela significativa da sua renda Os objetivos gerais do projeto foram a redução de custos e a melhoria de indicadores ligados à mobilidade dos colaboradores. As três etapas do projeto: 1. diagnóstico da situação de mobilidade 2. engajamento dos colaboradores para a elaboração de um plano de mobilidade 3. implementação das ações propostas no plano Outros benefícios identificados: • maior produtividade e qualidade de vida através da redução dos deslocamentos • contribuição para atração e retenção de talentos • melhor clima organizacional através da valorização da cooperação e compartilhamento • redução de emissões d